Categories
Geral

Histórico de Prêmios – French Exit e o retorno de Michelle Pfeiffer

Pfeiffer foi uma grande estrela. Infelizmente com o tempo sua carreira decaiu, mas finalmente poderemos ver uma das melhores de sua geração de volta aos prêmios com “French Exit”

Michelle foi uma das maiores promessas de seu tempo. Considerada por muitos uma das mais belas mulheres que já passaram por Hollywood, a veterana retorna esse ano com o filme “French Exit”.

“French Exit”, dirigido por Azazel Jacobs, é roteirizado pelo próprio autor do livro no qual o longa se baseia e será distribuído pela Sony Pictures. A história gira em torno de uma viúva que resolve aproveitar os últimos anos de sua vida com o final da fortuna do marido morto enquanto se muda para Paris com o filho e o gato da família, sendo o último a reencarnação do falecido.

Primeira imagem oficial de “French Exit”

Trabalhos recentes da atriz são pouco memoráveis ou muito atacados pela crítica, mas entre a década de 80 e 90 ela brilhou intensamente: Participando no começo de clássicos como “Scarface” e “As Bruxas de Eastwick”, a atriz encarou um dos principais projetos da sua carreira em 1988 quando estrelou, ao lado de Glenn Close e John Malkovich, o longa “Ligações Perigosas” de Stephen Frears.

“Ligações” foi aclamado pela crítica e fez um certo sucesso com o público. O nome de Pfeiffer brilhou ao lado do de Glenn Close e ambas foram indicadas ao Oscar, sendo essa indicação a primeira de Michelle. Infelizmente as duas saíram de mãos vazias mesmo sendo as vencedoras morais de suas respectivas categorias.

Michelle como Madame de Tourvel em “Ligações Perigosas”

No ano seguinte Pfeiffer estrelava “Susie e os Baker Boys” e por ele ganhou o Globo de Ouro de Atriz em Drama. Por sua interpretação de Susie ela recebeu o prêmio do National Board of Review, outros prêmios de crítica e foi indicada ao Oscar, mas perdeu para Jessica Tandy, atriz veterana que ganhou por “Conduzindo Miss Daisy”. Até hoje a atuação de Pfeiffer é considerada a melhor da categoria sendo a real merecedora do prêmio.

Nos dois anos seguintes ela voltou a ser indicada ao Globo de Ouro por suas performances em “A Casa da Rússia” e “Frankie & Johnny”, mas foi em 1992 que conseguiu sua terceira e última indicação ao Oscar. Tendo ganhado o prêmio de atriz em Berlim, Pfeiffer chegou ao Oscar com o filme “As Barreiras do Amor”. No mesmo ano ela ficou marcada por uma de suas melhores atuações no filme “Batman: O Retorno”. Na adaptação de Tim Burton, Michelle interpretou a vilã Mulher-Gato e entregou uma das maiores performances em um filme de herói.

A vilã Mulher-Gato em “Batman: O Retorno”

Em 1993 a estrela participou de “A Época da Inocência” ao lado de Winona Ryder e Daniel Day-Lewis. Pelo papel ela recebeu sua última indicação ao Globo de Ouro, mas acabou não sendo indicada para mais nenhuma premiação.

Depois de tantos sucesso, a carreira da atriz decaiu e foi esfriando cada vez mais. Ela chegou a ser indicada ao SAG por sua atuação em “Deixe-me Viver” de 2002, mas foi a única indicação relevante recebida. Após se retirar das telonas por um tempo, a veterana participou de filmes como “Mãe!”, “Where’s Kyra?”, “Assassinato no Expresso de Oriente” e entrou para a Marvel interpretando a Vespa, heroína dos quadrinhos. Pelo telefilme “O Mago das Mentiras” ela recebeu sua primeira indicação ao Emmy em 2017.

Michelle e Robert DeNiro em “O Mago das Mentiras”

Já nos cinemas, mesmo com algumas promessas de possível retorno, a atriz acabou não tendo muito destaque nos últimos anos, mas com “French Exit” isso finalmente pode mudar! O longa irá ter sua estreia no festival de Nova Iorque, sendo o filme que irá encerrar o evento. A obra será lançada nos cinemas nos EUA no dia 12 de fevereiro (Um ótimo sinal). O curador do festival disse em anúncio que Michelle entregava a melhor atuação de sua carreira no novo filme de Azazel portanto o nome dela só cresce na corrida.

Num ano em que Pfeiffer e Glenn Close, a dupla de “Ligações Perigosas”, parecem fortes na corrida, os corações dos fãs e dos cinéfilos batem rapidamente já que são duas veteranas que já foram indicadas diversas vezes e tem fama de overdue (Narrativas parecidas). Será que teremos o prazer de ver pelo menos uma delas premiada? Ou será que veremos ambas vencedoras? Resta torcer para a boa recepção do longa de Michelle, que sua atuação seja bem abraçada e que o filme faça justiça ao talento de sua estrela!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *