Crítica – One Night in Miami

Na adaptação da peça de mesmo nome, Regina King encontra um começo seguro para o início de sua carreira por trás das câmeras no cinema. O longa trata de uma noite fictícia na qual figuras simbólicas e importantes para a cultura negra estadunidense se reúnem, entre elas: Malcom X (Kingsley Ben-Adir), Sam Cooke (Leslie Odom Jr.), Jim Brown (Aldis Hodge) e Cassius Clay (Eli Goree).

Regina King e Kingsley Ben-Adir no set de One Night in Miami (2020)

Na parte inicial do filme somos introduzidos às personagens e seus feitos e em seguida temos o início das interação entre eles dando um começo aos pontos levantados e um olhar sobre a visão de cada um daqueles homens. Já na segunda parte, dá espaço ao aspecto político-social da época que ainda reflete nos dias de hoje. Embora a transição desses momentos pareça um pouco coreografada demais, o texto e seu poder de abrir debates é eleva o nível do roteiro devido a sua naturalidade ao comentar sobre esses assuntos sem parecer forçado ou muito generalizado.

O elenco no geral entrega algo tão bom que deixa a adaptação mais dinâmica e interessante de assistir. A escolha de Regina de trazer a peça para as telas foi um acerto seguro já que o texto a ajuda bastante, mas que limita a habilidade de vermos uma identidade própria da atriz, e agora diretora, no processo criativo. Pelo material fonte se tratar de uma peça, o filme poderia encontrar alguns problemas na sua tradução para a linguagem cinematográfica, mas graças ao elenco e a direção fluída de Regina, o longa não é prejudicado por grande parte de sua duração.

Kingsley Ben-Adir, Leslie Odom Jr, Aldis Hodge e Eli Goree em One Night in Miami (2020)

One Night in Miami é relevante e oportuno, mas cujas amarras teatrais e seguras demais acabam minando, mesmo que um pouco, sua transição para o cinema. Mesmo assim é um debut de direção muito bem vindo para uma das atrizes mais celebradas atualmente.

★★★★

Chances

Altas chances de vermos esse filme fazer o circuito completo da temporada: Melhor Filme, Melhor Direção, Melhor Ator, Melhor Ator Coadjuvante e Melhor Roteiro Adaptado.

Happy
Happy
0 %
Sad
Sad
0 %
Excited
Excited
0 %
Sleepy
Sleepy
0 %
Angry
Angry
0 %
Surprise
Surprise
0 %

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Previous post Mostra de São Paulo 2020 – Confira a programação da 44ª edição
Next post Festival de Londres 2020 – Semana #1